domingo, 5 de setembro de 2010

Entre visitas e facas na barroquinha, salvaram-se todos.
O sol escaldante e nada melhor do que uma visita técnica a um museu em pleno sábado em Salvador.
Coisas que a faculdade nos faz fazer e embora um dia eu já tivesse dito que nunca mais passaria por isso, lá estava eu novamente realizando uma visita.
Não que tivesse acontecendo nada de errado, pelo contrário foi muito bom andar pelas ladeiras do Pelourinho que um Gentleman com direito a carregar as sacolas de compras na barroquinha com os resto dos nossos materiais de faculdade e tudo.
Triste ver que essa área anda tão mal respeitada e que alguns valores que eu achava serem somente meus, a respeito da região,também se faz presente na concepção de outras pessoas e em especial do gentleman citado acima.rs.
Embora exista um fundo teório que fundamenta a criação do museu da gastronomia, tenho sérias criticas a esse embassamento e no fundo mesmo,acredito que criamos algo apenas para mostrar aos outros afro descendentes uma parte de sua história, digo em especial para os negros americanos, que de tempos em tempos estão invadindo a nossa cidade em busca de um resgate cultural que eles não possuem.
Pecamos por falta de infra-estrutura e por que somos "crianças" brincando de fazer criar um museu...
Em suma: temos um acervo pobre, uma linguagem única e que no final das contas não conta história de gastronomia nenhuma a não ser para nós brasileiros.
Mas isso é tema de um trabalho a ser desenvolvido e no qual terei que ser bem "polida" pra não entrar demais por um outro caminho.
Bom mesmo foi ver a rica culinária feita em um restaurante escola, onde a simpatia dos "fabricantes" dessas delicias é com certeza o maior dos temperos...
Fica a lembrança de uma manhã rica em todos os sentidos.

Um comentário:

*Menina lua* disse...

Elena, adorei seu blog, a imagem ao fundo, os textos...
Vou acompanhar suas aventuras pela Gastronomia, viu!
Parabéns, sonhos realizados dão um "up grade" na nossa vida...
beijo grande, saudades!!!